Instituto Soja Livre

Nota sobre a liberação da soja resistente ao Dicamba

O Instituto Soja Livre, representando várias instituições envolvidas na cadeia nacional de produção da soja convencional, manifesta preocupação com a liberação comercial, pelo Ministério da Agricultura, da tecnologia Intacta 2 Xtend, prevista para ser comercializada pela Bayer-Monsanto em 2021.

A preocupação advém da aplicação do herbicida dicamba, pois há vários relatos negativos de produtores dos Estados Unidos em relação à deriva do produto, causando danos em culturas sensíveis, especialmente a soja. Além disso, de acordo com a pesquisa “Volatilidade de dicamba em umidômios afetados pela temperatura e tratamento de herbicida” realizada pela Universidade do Tennessee e publicada recentemente na revista científica Weed Science Society of America, os resultados alertam sobre o aumento da volatilidade do dicamba quando em mistura com produtos que diminuem o pH da calda, como por exemplo algumas formulações de glifosato, herbicida amplamente utilizado no Brasil.
O Instituto Soja Livre defende a necessidade da realização de pesquisas mais aprofundadas sobre os impactos da liberação desta tecnologia no Brasil e também a elaboração de critérios técnicos específicos a serem adotados pelos seus usuários, com o objetivo de mitigar possíveis problemas relacionados a deriva e/ou volatilidade do dicamba e proporcionar maior segurança agronômica na adoção da soja Intacta 2 Xtend no país.

 

INSTITUTO SOJA LIVRE
Endrigo Dalcin –Presidente

CLIQUE AQUI

Nota sobre a liberação da soja resistente ao Dicamba

CLIQUE AQUI

Dicamba volatility in humidomes as affected by temperature and herbicide treatment

Comentário

  1. Gleison em

    qual defensivos pode ser usados na soja convencional?

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *