Instituto Soja Livre

Sojicultores têm nova opção de variedade convencional precoce

TMG 4377 tem resistência a nematóide de cisto e precocidade favorece safrinha de milho e algodão

Os produtores rurais de Mato Grosso têm uma nova opção de variedade convencional para a próxima safra. A TMG lançou a 4377, cultivar precoce (GM 7.3) com altos resultados de produtividade. “Esta variedade estava sendo aguardada há bastante tempo, com alta precocidade, possibilitando uma boa safrinha de algodão e milho”, afirma Endrigo Dalcin, produtor rural e presidente do Instituto Soja Livre.

Dalcin acredita que a cultivar vem atender a um anseio dos produtores rurais que buscam mais produtividade e precocidade nas variedades convencionais. De acordo com Renan dos Santos, supervisor comercial da TMG em Mato Grosso, também são características a boa capacidade de crescimento, podendo ser plantada desde a abertura do plantio em setembro, alto peso de grãos – de 190 a 200 gramas, e resistência a cisto raças 1 e 3.

A área da safra de soja 2019/2020 em Mato Grosso é de cerca 9,8 milhões de hectares e estima-se que 8% seja cultivada com soja convencional. O Instituto Soja Livre avalia que, para o volume produzido atualmente no Estado, há opções suficientes de cultivares para a decisão do produtor rural.

“Como trabalhamos com um nicho de mercado, as poucas opções conseguem nos atender. O grande diferencial é a precocidade desta nova cultivar que fará com que tenhamos uma janela melhor para as safrinhas”, explica Dalcin.

Instituto Soja Livre

O Instituto Soja Livre é uma associação sem fins lucrativos que defende o direito de cada produtor escolher a qualidade do grão que deseja plantar em cada safra.  O objetivo é fomentar o plantio de soja convencional, feito especialmente por pequenos e médios agricultores para atender um nicho de mercado importante.